Top Ad unit 728 × 90

Crônicas

Crônicas
teste

Episódio 1 - O Piloto - No Buraco do Blog

Já se passou um ano após a primeira publicação no Blog do Buraco e Ricardo está sentado com seu notebook no colo refletindo sobre esse ano nada comum em sua vida. Redes sociais a parte, a coincidência entre o Facebook e o Blog era no mínimo interessante,  a criação de ambos teve como fonte de inspiração uma mulher, mais precisamente um pé na bunda, um fora! Impulsionado pelo filme “Julia e Julie” a ideia de tornar público seus passos e seus pensamentos lhe pareciam a formula mágica para trazer de volta seu amor. Mas, quis o destino que aquela história que começara trágica após um acidente de carro, que por pouco não lhe tirou a vida, na verdade fosse se transformar na maior guinada de sua história.

Ricardo nunca foi um grande fã de livros, acho que poderia contar nos dedos todos os que lera na vida, incluindo os dedos dos pés claro! O que dirá então da escrita? Uma semana antes do acidente, sofreu horrores para tentar construir uma redação de vinte linhas em uma entrevista de trabalho; com muito suor e uma hora depois entregou suas dezoito mal escritas linhas, na esperança de que pontuasse melhor nos outros testes aos quais ainda ia ser submetido. Agora, sem carro, sem emprego e sem o amor de sua vida, tudo o que lhe restara era escrever em seu blog algumas tímidas linhas, enquanto se recuperava de seus machucados externos e suas feridas internas. O que ele não contava era que o universo naquele momento começara a mexer seus pauzinhos e como tudo que lançamos de bom no espaço retorna, Ricardo começou a receber de seus leitores uma resposta positiva sobre aquelas poucas linhas traçadas, na forma de elogios e incentivos a um talento que nem ele sabia ter.

O que parecia uma brincadeira a princípio começou a tomar ares mais sérios quando em uma tarde de domingo em um bate-papo habitual com seus leitores, Ricardo é adicionado em seu “Messenger” por Carol, uma devoradora de livros, de uma cultura admirável, que ficara encantada pela forma com que Ricardo escrevia; entendeu ali se tratar de alguém que tinha algo a dizer de forma inteligente e bem humorada. A identificação e admiração foi imediata, sem mesmo se quer terem trocado uma palavra. Até que enfim surgiu a primeira mensagem na tela do computador de Ricardo:

- Olá escritor!

Um rótulo! Aquilo meio que assustou Ricardo, já estava acostumado a receber alguns elogios pelos seus textos, mas nunca ninguém antes o havia chamado assim! A afinidade entre os dois foi quase que instantânea. A curiosidade mutua de Ricardo em conhecer aquela “maluca” que afirmava a ele ter um dom, e de Carol em conhecer as ideias e os pensamentos de uma pessoa intrigante, os levou a marcar um encontro no dia seguinte. A Livraria da Travessa em Ipanema ficava a menos de cem metros da casa de Ricardo, mas de lá a única lembrança que ele tinha era do ar condicionado gelado, que ele sempre sentia ao passar pela porta. Ricardo calçou seu tênis All Star, em seguida verificou se tudo estava no lugar, uma última olhada no espelho e então partiu para encontrar Carol, que o esperava em um universo de letrinhas em prateleiras. A aparente seriedade de Carol não durou mais do que quinze minutos e aquela conversa que a princípio parecia caminhar para a formalidade de um encontro, foi engolida pelas horas, dias, semanas e meses que se seguiram, solidificando uma amizade que nascera das letrinhas descompromissadas de seu blog. Confidente, amiga e agora revisora de seus textos, Carol não poupava críticas e elogios ao comentar os textos de Ricardo, sempre de forma construtiva.
Agora ambos formavam um time, enquanto a centrada Carol conduzia de forma sutil e encorajadora os caminhos de Ricardo, suas histórias de vida serviam de subsídios, parâmetros, para que a tímida e pacata Carol se enchesse de coragem e realizasse mudanças que julgava necessárias para sua vida. Agora ela tinha um amigo que lhe daria o suporte a qualquer hora do dia ou da noite, alguém que ela sabia poder contar.

- A amizade verdadeira é uma estrada de mão e contramão.

O passar do tempo e os contra tempos do dia a dia fez com que Ricardo, talvez movido pela aquela máxima de que todo escritor precisa de inspiração, entrasse em crise, deixando de escrever. Desmotivado, procurava uma razão para aquilo tudo, o Buraco parecia ter consumido todas as letras, frases e parágrafos que transitavam pela sua mente. Após sumir do mapa por algum tempo, a sempre respeitadora Carol resolveu invadir o espaço de Ricardo, que deitado em seu colo no sofá da sala ouvia atentamente as palavras de sua amiga. Carol introduzira uma nova palavra no vocabulário de Ricardo:

- Você precisa flanar!

Sair do Buraco, procurar seus pares, conhecer pessoas que de alguma maneira tivessem uma ligação com escrita, com as artes em geral. Estava na hora de procurar novos horizontes que iam além das paredes daquele Buraco, e porque não até encontrar uma paixão, dar uma chance aquele coração que foi deixado de lado por algum tempo.

Mônica, uma jovem atriz com quem Ricardo trocara algumas palavras mais pessoais parecia ser a pessoal ideal. A maneira com a qual se correspondiam, apenas através de e-mails, simulando cartas antigas o atraía. Cinema era a pedida certa, afinal estaria unindo o útil ao agradável. A Cervejaria Devassa de Ipanema era o ponto de encontro, a ideia era tomar uns chopinhos para quebrar o gelo natural do primeiro encontro.  Em meio a conversas protocolares entre duas pessoas “estranhas”, a animada Mônica sugeriu que eles fossem a casa de uma amiga que morava próximo dali, insistira que Ricardo precisava conhecê-la antes de irem ao cinema. Nicole era seu nome, Nikki para os íntimos. Dez minutos de caminhada pelas calçadas do bairro em uma noite agradável, empurrados por uma brisa de primavera fizeram Ricardo entender que Carol estava certa - flanar era preciso!

Um belo sorriso abre as portas da vida. Um abraço carinhoso e sincero logo fez com que a costumeira timidez de Ricardo virasse pó e o sorriso que se seguiu lhe provocou a sensação de intimidade com aquele ser estranho, além da impressão de que já se conheciam de longa data. As duas horas delimitadas para aquele encontro se transformaram em dois minutos. Nicole não queria que aquela noite acabasse ali, tinha gostado de graça de Ricardo, que estava encantado com aquela jovem, extrovertida, simpática, atenciosa e cheia de sonhos, que esbanjava sensualidade vestindo uma camisa social xadrez abotoada apenas por um botão, provavelmente de seu namorado que cobria completamente sua pequena bermuda jeans. Ricardo tira os ingressos de seu bolso e os rasga na frente de todos afirmando que aquela noite estava apenas começando! O que se viu a seguir foram varias noites, preenchidas com muitas conversas, muitas cervejas, muitas risadas. Nicole transbordava leveza, alegria e sem pedir licença entrara na vida de Ricardo sem direito a contestação! No seu buraco mando eu, Costumava brincar!

A Simplicidade de Nicole contrastava com a complexidade de Carol trazendo um equilíbrio para a vida de Ricardo que ainda alternava entre altos e baixos quando o assunto era o futuro do blog e a qualidade de seus textos. E em contra partida ambas tinham em Ricardo a experiência de um amigo que se dispunha a escutar seus problemas, estender sempre a mão quando necessário e emprestar seu ombro nos momentos mais difíceis.  O Buraco passou a ser uma espécie de ponto de encontro, uma espécie de refúgio onde todos transitavam de maneira livre e aberta, compartilhando bons momentos e dividindo as experiências de suas vidas.

Ricardo questionava a continuidade do Blog do Buraco, tinha cumprido a sua meta de mantê-lo no ar pelo período de um ano, afinal tudo que conseguira durante esse ano foi um pequeno patrocínio para escrever algumas resenhas sobre filmes, e as contas não paravam de chegar a sua caixa de correio. Indignadas com a ideia, Carol e Nicole decidiram dar uma forcinha para o amigo e quem sabe mudar esse destino. Santo de casa não faz milagre - logo a palavra delas não teria tanto peso assim na decisão de Ricardo, foi quando Carol teve a ideia de submeter o blog ao crivo de um profissional independente, acreditando que uma opinião idônea seria de grande impacto para Ricardo.

O telefone toca e Nicole atende, do outro lado Carol eufórica conta o veredito; Não poderia ser melhor, alias superara as expectativa de ambas, a profissional não só elogiara todos os tópicos abordados no blog como também direcionara os próximos passos a serem tomados para que o blog se tornasse comercialmente viável. Felizes, Carol e Nicole tramaram uma maneira de contar para Ricardo.

- É preciso comemorar de verdade as coisas boas que acontecem na vida!

Muitas vezes estamos tão acostumados com a rotina diária que nos esquecemos de comemorar as coisas boas que nos acontecem, por muitas vezes damos mais importância àquilo que não saiu do jeito que queríamos. Por isso champanhe e presentes são as combinações perfeitas pra essa ocasião, explicava Carol pedindo que Nicole inventasse uma história para tirar Ricardo do Buraco por algumas horas, enquanto ela prepararia uma surpresa pra quando eles voltassem. Nicole liga para Ricardo e suplica por sua companhia, não quer fazer nada em especial, apenas andar a esmo pelas calçadas do Leblon, jogando conversa fora. Quem sabe uma paradinha pra comer aquela pizza de calabresa que os dois gostam, uma agua de coco na praia e assistir o por do sol. Ricardo não consegue resistir ao apelo moleque de Nicole. Certamente terão momentos agradáveis e divertidos. A imprevisibilidade de Nicole já os colocaram em situações inusitadas e outras tantas engraçadas.

Ao entrar em casa Ricardo repara em um envelope no chão com um bilhete escrito: “Abra o envelope e leia, não faça nenhuma pergunta, nem ouse abrir a boca, apenas leia, e depois, só depois, depois mesmo viu! Fale!” Ricardo pega o envelope e vira-se na direção de Nicole que está com o dedo indicador na boca exigindo silêncio! Atentamente Ricardo lê todo o relatório que foi escrito sobre seu blog e ao terminar, visivelmente emocionado e com os olhos cheios de lágrimas, não consegue conter a emoção de ver seu trabalho de um ano inteiro ser reconhecido e chancelado por uma profissional do ramo. Carol aparece com um jarro de vidro na mão e explica que ali serão colocadas todas a rolhas, de todas as champanhes de todas as conquistas que ele ainda terá pela frente e pede que continue com o blog por mais um ano. Ricardo com a voz embargada, diz que “sim”! Nesse momento a saltitante Nicole aparece com uma garrafa de champanhe na mão que acidentalmente estoura dando um banho em todos. Os três brindam e celebram aquele momento com muito entusiasmo.

Carol leva Ricardo para o quarto e ele ressabiado pergunta o que elas estão aprontando agora. Os três deitam na cama e Nicole coloca o filme “Julia e Julie” para que eles assistam e Ricardo relembre como tudo começou. Entre um gole e outro, entre um comentário sem noção emitido por Nicole e uma crítica intelectual de Carol, os três assistem o filme. No final, Nicole se inclina e pega um presente escondido embaixo da cama e entrega a Ricardo e diz: “Sei que você não tem nem tempo de cuidar de você mesmo, mas acho que precisa de uma companhia para quando estiver sozinho, e como não sou maluca de te dar um bichinho de estimação de verdade, toma aqui esse porquinho “ipig” que é pra alegrar as nossas festinhas”. Agora Carol faz a mesma coisa, e puxa um envelope debaixo da cama, Ricardo abre e tira um recibo que está em seu nome, é a inscrição para um curso de roteiro de cinema na PUC. Carol completa: “Está na hora de você mostrar seu talento e aprender outros tantos, estou apostando minhas fichas em você e tenho certeza que você vai arrebentar!” Os três se abraçam e Ricardo enfim fica sem palavras para agradecer o gesto carinhoso de suas amigas.

O sono os arrebata em poucos minutos, Ricardo é o ultimo a dormir, mas sem antes olhar para o lado e ver Nicole, que ronrona suavemente, um beijo carinhoso em sua testa e um obrigado bem baixinho é dito. Ricardo vira para a pequena Carol que mesmo dormindo mantem seu ar sério; ele sorri e repete o mesmo feito com Nicole, lhe dá um beijo na testa e agradece e se vira para dormir. Quando ele já se encontrava em estado alfa, mais pra lá do que pra cá, aquela voz quebra o silencio:

- Ah! Esqueci de avisar, o curso começa amanhã!

---------------------------------------------------------------------------------------





O Buraco, nome carinhoso para o lugar aonde moro acabou com o tempo e a divulgação através deste blog se tornando um lugarzinho especial, de onde muitas letrinhas viraram crônicas, versos, poemas, receitas e resenhas de muitos, muitos, muitos filmes. Mas a curiosidade sempre aguçou os leitores, ávidos por detalhes do que rola dentro do Buraco, então para apimentar um pouquinho as histórias deste lugar pitoresco, a ideia é juntar um pouco de realidade, acrescentar uma boa dose de imaginação, uma pitadinha de bom humor e tentar transformar isso tudo em uma salada leve e divertida de se ler. Nossos três personagens se envolverão nas mais inusitadas, emocionantes e engraçadas histórias, sempre usando como pano de fundo, temas atuais que serão postados em episódios e sempre que possível baseado em fatos reais! 

---------------------------------------------------------------------------------------

Próximo episódio - O Jantar romântico


Episódio 1 - O Piloto - No Buraco do Blog Reviewed by Ricardo Leão on 12:01 AM Rating: 5

Um comentário:

  1. Muito Bom! Ler essa história é ainda melhor do que ouvi-la pessoalmente.

    ResponderExcluir

All Rights Reserved by Blog do Buraco © 2014 - 2015
Powered By Blogger, Designed by Sweetheme

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.