Top Ad unit 728 × 90

Crônicas

Crônicas
teste

Web Book - Eu...Vc - Capítulo 2















“Oi amor cheguei bem, o voo atrasou, já estou no táxi a caminho da rodoviária, em breve finalmente estaremos juntos. Eu...Vc.” 



Fernanda solta um grito ao ler a mensagem recém chegada em seu celular, aquele grito histérico, eufórico e único entre as mulheres ecoa através das paredes de seu pequeno salão de beleza. Suas colegas de trabalho sabendo a razão para aqueles gritos, respondem com mais gritos, em uma espécie de inexplicável ritual feminino todas começam a gritar desordenadamente juntas, pular na ponta dos pés, arregalar os olhos e a balançar as mãos freneticamente uma nas outras. Depois de alguns minutos deste frenesi Fernanda grita:

       _ Ele chegou!!! Ele chegou!!! Ele chegou !!!




Alguns segundos de silêncio. Não precisou de mais nada, nenhuma explicação mais detalhada, para que as clientes que estavam completamente desorientadas sem saber o que estava acontecendo começassem a gritar uma após a outra, contagiando a todos de novo no salão, exceto o pequeno Bruninho, atônito no canto jogando seu vídeo game e pensando - Que diabos foi isso? - Mal sabe ele que vai crescer e se tornar um homem e que mesmo então, não terá a resposta para aquela pergunta.



Agora a já naturalmente elétrica e ansiosa Fernanda não consegue conter a felicidade dentro de si, com aquele sorriso largo estampado na cara ela continua a fazer uma escova inteligente no cabelo de sua cliente, entre um puxão e outro cada vez mais apressado e forte, ela resmunga baixinho - tô atrasada, ai meu Deus, tô atrasada! Sua grande amiga e sócia que está ao lado cortando um cabelo brinca com ela - Atrasada? Amiga, seis meses sem homem você já é virgem de novo! - E completa rindo: - Você ainda lembra como se faz?   Fernanda já muito nervosa se descontrola e grita com a sócia: - Pára pentelha! Larga do meu pé! Ao mesmo quase arranca todos os cabelos com uma senhora puxada com a escova, levando a cliente a soltar um grito e falar: - Fernanda, se você der outro puxão desses, eu me apaixono! Aí sim, você vai ter problemas para se livrar de mim e encontrar seu namorado! Todos riem no salão, Fernanda relaxa um pouco e continua a fazer o seu trabalho.



Enquanto Fernanda termina sua escova, vamos falar um pouco sobre ela. Fernanda nasceu e cresceu em uma pequena cidade do interior da serra catarinense. Cresceu entre os valores familiares que ainda são preservados nestas pequenas cidades de verdes pastos com paisagens deslumbrantes. Filha do meio tem dois irmãos cuidadosos e ciumentos. Meio menina, meio mulher, casou-se duas vezes e teve um filho com cada um de seus ex-maridos. Aos trinta e cinco anos trabalha duro há três anos em seu salão de beleza ao mesmo tempo em que tenta ser uma dedicada e atenciosa mãe, empresária de sucesso e quando sobra tempo, mulher.



Romântica, carinhosa, bonita, de gênio forte, aparenta saber os caminhos que deseja trilhar na vida, passa muita segurança a todos que estão ao seu redor, mas por dentro sente que falta alguma coisa. De sorriso largo, olhar encantador e senso de humor refinado é daquelas mulheres que chamam atenção mesmo com seus um metro e cinquenta e cinco centímetros de altura. Nada é impossível era seu lema, quando jovem pintava e bordava nos arredores da sua pequena cidade, namorava escondido atrás da igreja aos domingos, era sempre a primeira a se oferecer pra ficar na barraca da maçã do amor nas festas regionais, no colégio era a cabeça pensante da sua turminha de meninas e fundadora do clube “Material Girls” nome inspirado no título de sua música predileta da cantora Madonna, onde quem era boca virgem não entrava e a cor rosa era abominada. Sabe aquela pessoinha diferente na escola e que não estava nem aí para o que falassem ou pensassem dela? - Então essa era a Fernanda. - Mas as “Fernandas” das cidades pequenas se casam com o primeiro amor de suas vidas que também são na maioria das vezes o primeiro homem. Essa é a Fernanda!



Pobre Bruninho, já pestanejando no canto com aquele sono entediante, videogame caído no colo, esperando que Fernanda termine a escova inteligente em sua mãe - pois é Bruninho, é de pequeno que se aprende! - Enfim, já quase transtornada pela ansiedade ela termina seu cabelo, saltitando num pé ao mesmo tempo em que com o outro pega o espelho na parede para mostrar o resultado de seu trabalho a cliente - nunca aquele protocolo foi tão longo e sofrido! Última cliente do dia se foi satisfeita e feliz. Missão cumprida. Tudo pronto, agora ela poderá se dedicar ao seu amor que está chegando em poucas horas. 



Fernanda senta, cansada joga a cabeça para trás e fecha os olhos por alguns segundos, até que uma voz cochicha suavemente em sua orelha, ainda precisa falar quem é?  Sônia fala baixinho: - Amada, desculpe interromper o descanso da princesa, mas você lembra que  ainda não terminou de fazer a mala, ainda tem que ir ao banco sacar dinheiro, deixar seus filhos na casa de sua mãe, arrumar todas as tralhas dentro do carro, tomar banho, se enfeitar para seu amado e ainda dirigir uma hora de carro para encontrá-lo? - Fernanda pula da cadeira, e grita: - Não vai dar tempo, não vai dar tempo! Dá um beijo em sua sócia e fala: - Me deseje sorte, obrigada amiga, te amo! Pega sua bolsa e sai correndo em direção a porta do salão quando é interrompida por Sônia que diz.

       - Ô Guria espera aí!
       - Fala Chatinha, tô com pressa!
       - Não esquece que você não se depilou, já pensou o susto que ele vai   levar?
       - Ah!!! Não vai dar tempo!!! Me deixa correr! Tchau!!!




Fernanda sai porta a fora do salão desesperada achando que as cinco horas que restam para seu amor chegar não seriam suficientes para fazer tudo que planeja. Enquanto isso dentro do salão Sônia olha para o relógio contando os minutos e os segundos com um sorriso sarcástico no rosto. Três minutos e trinta e cinco segundos depois, Fernanda entra loucamente porta adentro do salão tirando a roupa e gritando.

     - Esquenta a cera, vai ter que me depilar! Não vai dar tempo!
     - Já esta quente e esperando você!
     - Ai amiga, não sei o que seria de mim sem você!
     - Hoje? Um gremlin com olhos cor de mel!




Sônia começa a depilar Fernanda, enquanto ela fica tagarelando e repassando tudo o que tem que fazer aquele dia, reclamando que não vai dar tempo, se perguntando se ele vai gostar dela ou se ela vai gostar dele. - Blah, blah ,blah! Até que lá pelas tantas, Sônia interrompe e pergunta:

     - Posso te dar uma sugestão? 
     - Fala logo, anda! O que foi? Tem alguma coisa errada aí? Tá feia?
     - Acho que você deveria mandar uma mensagem de texto pra ele avisando que esta tudo bem ou vai acabar desistindo.




Fernanda grita: - Ai meu Deus! Esqueci! Então pega o celular e escreve uma mensagem e envia, depois vira para Sônia e pergunta: - Será que ele vai ler? Sônia faz aquela careta e puxa com vontade a cera na perna de Fernanda que grita um palavrão! 



Enquanto isso Bruninho no carro voltando pra casa com sua mãe, olha pro cabelo dela e pergunta: - Mãe, se a escova é inteligente, porque você tem que voltar aqui sempre? Ela fica burra?


Próximo capítulo " Beto " - AGUARDEM



Web Book - Eu...Vc - Capítulo 2 Reviewed by Ricardo Leão on 4:50 PM Rating: 5

Nenhum comentário:

All Rights Reserved by Blog do Buraco © 2014 - 2015
Powered By Blogger, Designed by Sweetheme

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.