Top Ad unit 728 × 90

Crônicas

Crônicas
teste

Que isso gente!


















Fila de supermercado é um lugar de meditação, pelos menos pra mim que costumo ir ao mercado quase todos os dias em uma espécie de terapia diária, algo que me obrigue a sair do buraco e tirar as teias. O que sempre acontece quando me deparo em uma fila, meus pensamentos começam a vagar, eu começo a viajar, mas nunca na batatinha ou na maionese o que até dariam uma saborosa salada de batatas, mas nunca estou pensando no que estou comprando ou no que vou fazer com aquilo. Fila de supermercado pra mim é um lugar de reflexão... algo parecido com um transe hipnótico, como se tivesse em uma espécie de limbo andando lentamente passo a passo em direção a luz, esperando pela palavra mágica que me desperte e me tire daquele lugar.. . Caixa livre! Próximo! 

Mas em até no limbo tem alguém querendo furar uma fila. Foi quando escutei uma voz meio rouca e sombria que vinha de alguém atrás de mim perguntando – Aqui é a Fila?

É sim! – Respondi – mas mesmo antes de terminar esta extensa frase, um vulto trajando um vestido floral esvoaçante passa rapidamente por mim e vai em direção a um caixa que acabará de ficar livre, pra trás ficou apenas cheiro do perfume por demais doce e enjoativo que em nada combinavam com seu vestido.

Ao chegar próximo do caixa, a tal senhora olha procurando pela educada amiga que se manteve atrás de mim na fila, certamente envergonhada, e de lá com uma voz acima do permitido por lei fala para a amiga – Vem logo, aqui é caixa preferencial!  Eu não olhei para trás, mas consigo imaginar a cara que a amiga deve ter feito ao presenciar aquele fato, pois em seguida a senhora do vestido esvoaçante fala comigo em tom de soberba. – Venha então é sua vez! Educadamente, respondi – De maneira alguma, a senhora pode passar a minha frente, não estou com pressa fique a vontade! Só então a amiga sai da fila se dirigindo ao caixa.

Vinte segundos depois... Caixa Livre! Próximo! – Opa! Minha hora de sair do limbo

Fui em direção ao caixa bem ao lado das senhoras, coloquei minha cestinha em cima do balcão, forneci minha senha de cliente e fui colocando tranquilamente os produtos um a um para que a atendente passasse pela registradora enquanto outra gentilmente ensacava minhas compras, então aquela voz de novo acima do permitido por lei me chama atenção reclamando – Viu só! Não sei para quer ser cliente, não ganhei desconto algum! Foi quando reparei em suas compras. Uma meia dúzia de pães, uma bandeja de tomate e uma garrafa de azeite.

Minha atenção voltará pro caixa, quando a atendente perguntou qual a forma de pagamento. — Débito ou Crédito? Respondi – Débito, por favor! Inserindo meu cartão na leitora em seguida digitando a senha para saída do limbo. 

Não demorou muito pra mais uma vez, mais uma reclamação surgir. – Olha só, coloque tudo em uma sacola, essas sacolas plásticas estão poluindo e matando nosso planeta, eu não quero contribuir para isso! – Reclama a senhora de vestido esvoaçante para a atendente, então se vira para a amiga e completa – Se eu chegar em casa com um monte de sacolas, minha neta vai pegar no meu pé, agora lá em casa tudo é feito para salvar o planeta em que moramos. Ela então reflete um pouco e continua – Sabe de uma coisa, ta cheia destas sacolas no armário da cozinha, quando chegar em casa vou pegar todas, colocar no tanque e tocar fogo, o que você acha? – Pergunta ela a amiga. Adoraria ter esperado pra ouvir a resposta, mas minha saída do limbo estava liberada só me restava seguir em direção a luz.

Saí meio que me sentindo um criminoso carregando minhas três sacolas plásticas, mas pensando nos motivos que levaram a senhora a se comportar daquela maneira. Talvez pelos poucos produtos que carregava na mão, ou talvez por não querer esperar que os pães fresquinhos esfriassem, ou talvez por achar que sua idade lhe permitisse amparada pela lei do idoso mesmo não sendo um caixa preferencial, sei lá... Soberba? Arrogância? Falta de Educação? Em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro? Que isso gente! 

Bem... Tomara que senhora do vestido esvoaçante leve a neta ao supermercado da próxima vez. 

Ah! E troque de perfume!

Que isso gente! Reviewed by Ricardo Leão on 2:46 PM Rating: 5

4 comentários:

  1. Olá querido!
    Adorei o seu blog!!

    Parabéns!!

    Bjs

    erika_renata10@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. que gostoso ler a crônica e pensar, pensar, pensar...

    ResponderExcluir
  3. Adorei a crônica, criativa e bem-humarada, me identifiquei com a fila do mercado como o limbo. Eu também me sinto assim nelas. Um super abraço!

    ResponderExcluir
  4. Adorei!!! ... Realizei as cenas! rsrsrs

    ResponderExcluir

All Rights Reserved by Blog do Buraco © 2014 - 2015
Powered By Blogger, Designed by Sweetheme

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.